Sociedade
5/2/2020

Centenária Adelina vai sozinha ao café e anda de camioneta

Adelina da Piedade, da Pedreira, andava a pé dezenas de quilómetros para ganhar a vida a vender ovos. Aos 100 anos, completados no dia 06 de janeiro, ainda tem forças para ir sozinha ao café, acompanhada apenas por uma bengala, e viajar até Miranda do Corvo para cortar o cabelo

Adelina da Piedade, da Pedreira, andava a pé dezenas de quilómetros para ganhar a vida a vender ovos. Aos 100 anos, completados no dia 06 de janeiro, ainda tem forças para ir sozinha ao café, acompanhada apenas por uma bengala, e viajar até Miranda do Corvo para cortar o cabelo

Foi em casa de Glória Lopes, filha de Adelina da Piedade, na Pedreira, que o “Mirante” esteve à conversa com a centenária que recordou passagens da sua vida.

Com uma memória de fazer inveja, Adelina conta como os tempos eram difíceis. “Comecei, em garota, em Coimbra, nas quintas a ganhar três e quinhentos por dia, de manhã à noite, e ia e vinha a pé”, contou.

Depois de casar, aos 23 anos, com José Lopes, que morreu aos 81 anos, em 2004, Adelina dedicou-se ao “negócio dos ovos”. “Comecei a vender pelas serras, com um carrego de ovos à cabeça e um cesto no braço, fizesse chuva ou sol. Cheguei a partir alguns”, recordou à gargalhada.

Adelina Piedade no dia em que festejou o seu aniversário

Leia a reportagem completa na edição em papel.

METEOROLOGIA
MIRANDA DO CORVO Meteorologia